terça-feira, 19 de junho de 2012

Porventura, não é este o jejum que escolhi?


“Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres abandonados; e, quando vires o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda.”

Isaías 58.5-7

Eta Glória! Tem mistério nessa Palavra. Irmãos, devo confessar, que fiquei eletrificado, afogueado quando recebi essa Palavra hoje pela manhã. O Espírito Santo de Deus quer tratar de algumas coisas com alguns. Receba aí, leia até o fim; o Senhor quer sarar a tua terra, vaso!

Jesus nos disse que todos os mandamentos da Lei estavam encerrados debaixo de dois: amar o Senhor teu Deus de toda a tua força, com todo o teu coração e de todo o teu entendimento e, amar ao teu próximo como a ti mesmo.

Ele falou ao próximo, independente de ser seu amigo ou não, de ter lhe prejudicado ou não, de ter tentado roubar algo que é seu ou não. Deus quer que tenhamos corações perdoadores! Já sabemos que o inimigo está por trás de todas essas atitudes das pessoas (1 Pedro5. 8-9); e a única maneira de quebrarmos essa ponte de mágoa e rancor, através da qual o inimigo tem acesso a vidas das pessoas envolvidas é através do perdão.

Não estou dizendo aqui que é fácil perdoar, que é fácil obedecer, mas se nos não perdoarmos ou obedecermos, qual será a nossa diferença em relação aos que estão no mundo? Que sal insípido seremos! Que luz sem brilho seremos! Se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? (Mateus 5.44-49).

Quando você perdoa você se parece com Deus. O Diabo morre de medo de duas palavras e realidades na vida do cristão, claro, além do Nome de Jesus: o amor e o perdão. Sede perfeitos, porque perfeito é o vosso Pai que está nos céus ( Mateus 5.49).

Duvida? O que o Senhor nos ensinou na oração do Pai nosso? Perdoai as nossas ofensas, assim como temos perdoado a quem nos tem ofendido. “Se vós não perdoardes ao teu irmão, também Eu, não vos perdoarei diante do Meu Pai que está nos céus.” Você está brincando? Não fui eu quem disse isso: foi Jesus!

De uma maneira misteriosa, o nosso perdão depende do perdão que oferecemos às pessoas que nos têm magoado. Quer ser perdoado, perdoe!

Quando o Senhor fala sobre o Jejum que lhe agrada, Ele fala sobre o propósito do jejum. Vemos pessoas jejuando pela desgraça dos outros, pela derrota alheia, e outros despautérios; porque somente quem está em falta com suas faculdades mentais pode jejuar pelo mal de um irmão, pode desejar no seu coração o mal de um irmão.

Deus não tem nenhuma sombra de maldade em seu caráter, não pode ser tentado pelo mal e, você acha que Ele vai ouvir esse tipo de oração e consagração sua? A quem você acha que está agradando com esse tipo de coisa?

Eu não sei com quem Deus está falando, mas a verdade é que Ele sabe. Se for com você, corrija o seu proceder, clame pela misericórdia divina, lute por sua mudança.

Deus se agrada do nosso jejum e das nossas orações, mas não do egoísmo deles. Ele quer que compartilhemos, ajudemos uns aos outros, que soframos como sofrem as mulheres nas dores de parto por um irmão que está fraco na fé,  que é novo convertido, que acolhamos os necessitados, não quer superestrelas cristãs, sabe por quê? Deus não recebe a glória de homens. Assim diz o Senhor: Há outro Deus além de mim? Não! Não há outra rocha que eu reconheça. (Isaías 44.8).

E quando chegarmos a esse estágio de desenvolvimento cristão, Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda.

            Eu Sou o Senhor, a minha glória, pois, não darei a outrem!!!