terça-feira, 19 de junho de 2012

Não estou fazendo mal a ninguém


Conta-se a história de um soldado cuja ausência foi sentida no meio do alvoroço da batalha. Ninguém sabia o que havia acontecido com ele. Sabia-se apenas que ele não se encontrava em nenhuma das fileiras.

            Assim que uma oportunidade apareceu, um oficial saiu à sua procura e, para sua surpresa, descobriu que o soldado, durante a batalha, esteve se distraindo em um jardim florido. Quando lhe foi perguntado o que fazia naquele local, desculpou-se e respondeu: "Senhor, eu não estava fazendo nada de mal." Mas ele foi julgado, condenado e fuzilado!

Este é um triste, mas verdadeiro retrato de muitos que gastam seu tempo de maneira vã e fútil, indiferentes a Deus e recusando-se a seguir os ensinos de Sua Palavra, não tendo nenhuma resposta melhor a dar do que:
"Senhor, não estou fazendo nada de mal."

Qual tem sido o nosso compromisso com as coisas do Senhor?

            Até que ponto temos observado Sua Palavra e procurado viver de maneira a glorificar o Seu nome em cada uma de nossas atitudes? Compreendemos que precisamos ser sal para dar sabor ao mundo e luz para iluminar as trevas que se levantam por toda a parte ou julgamos que isso não é importante e que nada há de mal em nos "distrair" com os atrativos que o mundo enganador nos oferece?

            É claro que precisamos de momentos de lazer e entretenimento, de passear com os nossos queridos e de descanso para restaurar nossas forças, mas, como bons soldados do Rei Jesus, devemos também estar preparados para servi-Io com grande determinação e alegria.

            E as bênçãos advindas do nosso trabalho para o Senhor produzem regozijo ainda maior do que aquele experimentado em nossos momentos de diversão pessoal.

            Você permanece firme nas fileiras do Senhor ou costuma se distrair "longe dele?"

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.(II Tim4.7). Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu" (Ecl 3:1)