segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

"Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer."

1 Coríntios 1:10

Bom dia queridos do Senhor,

Nessa passagem o Espírito Santo vem nos orientar a termos todos uma única palavra, uma única voz, uma única língua. Devemos sempre estar unidos em um único propósito. O propósito original de Deus para o homem é que todos falemos uma mesma língua.

E foi exatamente pela rebeldia do homem, em querer criar algo que competisse em glória com Deus - a torre de Babel (Gn 11) - que o homem teve suas línguas mudadas e foi separado.

A palavra Babel significa confusão, e onde reina a confusão e a desunião, satanás está. Onde reina a união, o amor e a concordância, Deus se faz presente. A benção é maior do que a maldição, queridos. A união de Deus é muito maior do que a desunião do diabo!!!

Nessa mesma passagem, o Senhor Deus nos mostra que o homem não tem limites quando está em concordância e união. Ninguém pode parar uma grande obra quando os irmãos estão em união. O Espírito Santo nos diz que onde há união e comunhão entre os irmãos o Senhor ordena a benção e a vida para sempre (Salmos 133.3). Há um poder que não podemos entender muito bem, de tão grande que é, quando os homens, estão em união.

Cristo nos disse que se dois de nós concordarmos a respeito de qualquer coisa na terra, nos será feito por nosso Pai que está nos céus. Essa é a conhecida oração de concordância (Mt 18.19).

O que for ligado na terra, será ligado nos céus!!!

Se entendermos, o propósito da concordância e da união em nossas vidas, venceremos qualquer luta espiritual ou material. Ninguém vence sozinho. Todos dependemos de todos!!!

Tenham todos um ótimo dia em nome de Jesus!!!!

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Não duvide em seu coração!!!!


“Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz tudo o que disser será feito.”  Mateus 11.23

Meditaremos sobre esse poderoso ensinamento de Jesus, que é mais comentado do que posto em prática: a passagem da figueira seca. É um dos mais poderosos ensinamentos, em minha opinião, sobre o ministério profético (diferente do dom de profecia) do homem para Deus, baseado na firmeza da Rocha que é Jesus!

Saindo de Betânia, aldeia que ficava a poucos quilômetros de Jerusalém, Jesus teve fome; como, provavelmente era manhã, ele pode ter saído sem comer nada. Qualquer que fosse a situação, o homem Jesus tinha uma necessidade a suprir. 

Avistando ao longe, o que parecia ser a solução do problema, Jesus ao chegar mais perto, constata que aquele não era o caso. Ele entendeu ali que era algo que além de não resolver, só faria o problema crescer; ou seja, a fome aumentaria se continuasse a esperar a solução ali. Embora tivesse a aparência de solução, tornaria o problema pior.

Quantos hoje não têm sido zombados por satanás, que apresenta árvores enraizadas? 

Comportamentos que perduram por gerações de uma mesma família, que no início parecem prazerosos e bons, mas tornam-se vícios sem aparente solução natural. Vícios "prazerosos" que dão frutos podres tomado de bichos (representação de demônios), que só alimentam a força desse demônios, que passam a achar-se os donos daquela vida.

Será que o empréstimo vai resolver o a situação? O sexo ilícito vai suprir a sua necessidade de amor? Cobiçar o que é seu vai te fazer mais feliz? Esses e muitos outros erros são comportamentos aprisionadores da mente que tirarão a tua paz e felicidade. E quanto mais se repetem, reproduzem os frutos podres que fortalecerão cada vez mais a raiz do problema.

Quando Jesus proferiu o decreto “nunca mais ninguém como fruto de ti”, estava ensinando ao homem como romper com esses costumes; estava dizendo aos demônios que nunca mais eles se alimentariam daqueles frutos podres; estava declarando que nunca mais eles colheriam maus testemunhos e tristezas na vida das pessoas que aprendessem aquele ensinamento e o pusessem em prática. Aquilo foi dito na presença dos discípulos para que eles pudessem aprender o valor de um decreto espiritual.

Na manhã seguinte os discípulos percebem que a Palavra profética se cumpriu. O decreto surtiu efeito. A porta dos demônios fora fechada e o problema secara-se até as raízes.

Ali se inicia a maior aula bíblica sobre o ministério profético. O Senhor diz: “tende fé em Deus”.

Ter fé em Deus é manter o compromisso diário com a meditação, com a oração, com a comunhão e crer nas palavras do Senhor mesmo quando tudo parece perdido. É louvor, é adoração, é dar bons frutos espirituais a tempo e fora de tempo; é ser de Jesus nas maiores crises de fé de sua vida, e não apenas diante dos homens. Nisso fica clara a diferença entre o justo e o ímpio; entre aquele que serve a Deus e aquele que não serve (Ml 3.18).

Jesus revela o segredo dos profetas, mostrando que não faz diferença se o homem advinha o número de seu processo na justiça ou usa de qualquer outra ferramenta de ilusionismo para aprisionar a sua mente (magos também fazem isso). O que realmente vai fazer a diferença é se o homem de Deus vai enviar a palavra profética em seu favor, o Espírito Santo vai confirmar e uma nova realidade será criada, independente das circunstâncias do hoje.

A palavra profética confronta sua realidade, desafia suas circunstâncias e contraria a sua situação atual. Nosso trabalho como profetas do Senhor é crer no coração e enviar a palavra, porque é o Senhor quem cumpre a palavra de seus servos, os profetas de nossa geração.

Jesus falou à figueira. Porque você não fala ao problema que te aflige: ergue-te e lança-te no mar?!

Envie a palavra do Senhor e verás a história de sua vida mudar completamente. É garantia do Senhor Jesus: Não te hei dito que se tu creres, verás  a glória de Deus? (João 11.40)

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Resposta a uma irmã sobre 1 Co 14.34

Queridos recebi uma pergunta muito interessante, agora há pouco de uma irmã querida; e essa pode ser a resposta para a dúvida de alguns, e principalmente algumas,  que o Espírito Santo abra seu entendimento a respeito do assunto. A paz do Senhor Jesus!!!!

"As vossas mulheres estejam caladas nas igrejas; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei."

1 Coríntios 14:34

Explique-me se puder, eu não entendi...”

Irmã em Cristo


A paz de Cristo minha irmã,

Respondendo à sua questão, podemos dizer que temos duas linhas basicamente a seguir; dentre tantas outras que possam alguns especular.

 Primeiro, devemos nos lembrar de que os primeiros cristãos eram judeus; e se os judeus ainda hoje são uma sociedade patriarcal, imaginemos naquele tempo. Com efeito, essas posições de liderança e de ensino cabiam aos homens. Na religião judaica, apenas homens ascendiam ao rabinato.  O texto diz “... estejam sujeitas, como também ordena a lei..." A determinação clara de uma mulher se calar nas igrejas era uma alusão clara ao judaísmo e seu sistema patriarcal.

Uma segunda linha que eu vejo e entendo, é porque a cidade de Corinto era uma cidade extremamente pagã, imoral e idólatra. Havia muitos templos de adoração à deusa Diana de Éfeso, de afrodite e, de astarote (todas essas deusas ligadas à prostituição sacrificial ou cúltica). O culto de adoração a essas deusas eram orgias sexuais, e a sua liturgia era a prostituição.

Na Babilônia surge a prática da prostituição com as sacerdotisas de Ishtar (a mesma astarote), onde todas aquelas mulheres, sacerdotisas ou não tinham que prestar um culto a essa deusa. Essas mulheres, todas as da cidade, ficavam à porta do templo de Ishtar com os rostos cobertos e os seios à mostra (Esses templos tinham diversas alcovas ou quartos que serviam a esses encontros, não por acaso assim são os prostíbulos hoje). E qualquer homem que passasse em frente àquele “templo” querendo ter relações sexuais com elas não podia ser rejeitado, porque aquele era um culto de adoração a Ishtar; bastava apenas ele colocar uma peça de prata ou um presente sobre o seio daquela "adoradora" e ela tinha que aceitar manter relações sexuais com ele como forma de adoração. Toda mulher da cidade em algum momento da vida, tinha que prestar esse culto a Ishtar.


Voltando a sua pergunta, muitas daquelas mulheres que foram ganhas para Jesus em Corinto, prestavam esse culto a astarote, a afrodite. Assim, para evitar confusões e/ou tentações, o apóstolo Paulo proíbe que as mulheres falem ou ensinem nos cultos das comunidades cristãs primitivas. O que hoje já não tem o menor sentido, pois a igreja evoluiu e já naquele mesmo tempo, alguns anos depois, havia mulheres que serviam e eram separadas para a obra de Deus, como vemos em diversas cartas do Apóstolo Paulo. Mas, isso já é outra história... Espero ter respondido a sua pergunta de alguma maneira. A paz do Senhor Jesus!!!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O Espírito da Verdade

“O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.
João 14.17

                Eis aqui a maior riqueza que temos nessa vida, o maior dom que o Pai nos deu após a salvação: O Espírito Santo. Ele é tudo. Ele é Deus. sem Ele nada poderemos fazer. Sem Ele somos meros instrumentos que dão sonido incerto. Precisamos dEle a cada dia. E quanto maior a consciência que tivermos de sua presença e de sua obra em nossas vidas, maior será o Seu poder e o Seu agir em nosso meio.
                A igreja de Cristo na terra precisa redescobrí-lo. Não apenas de ouvir falar ou de retórica ou orações vazias. A igreja precisa viver essa realidade. Quando isso acontecer, a igreja verá algo até então tido como impossível apresentando-se diante de seus olhos, como num aparente estalar de dedos.

·         O Espírito da verdade
A cada meia informação, verdades incompletas, histórias mal contadas, seja para agradar a quem quer que seja, seja para parecer politicamente correto ou ainda “salvar uma situação”, a pessoa vai se afastando do Espírito Santo, o Espírito da Verdade, porque o entristece. Se Ele é o Espírito da Verdade, não pode conviver com a mentira.

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.”
Efésios 4.29,30.


·         O mundo não pode receber
São reinos diferentes, como a luz terá comunhão com as trevas? O mundo não pode receber ao Espírito da Verdade, pois jaz no maligno, está cheio de sua mentira. Logo, todo aquele que está no mundo, todo ímpio é mentiroso, porque não tem em si o Espírito da Verdade.

“E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.”
2         Coríntios 6.15,16


·         Porque não o vê
O mundo não pode ver o Espírito da Verdade porque satanás cega o entendimento dos incrédulos; assim, tudo o que o mundo verá são as falhas e os erros dos homens e mulheres de Deus (que são reais e O Espírito Santo não esconde, como o Espírito da Verdade que é). O inimigo impede, engana e trapaceia os filhos do mundo para que estes não vejam os bons exemplos do Evangelho que são a Luz do Evangelho da Glória de Cristo.

“Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.
2 Coríntios 4.4


·         ...nem o conhece
A melhor analogia é a do relacionamento conjugal entre um casal. Essa é a raiz da palavra conhecer: é ter contato íntimo e profundo como não se tem com mais ninguém. A profunda intimidade entre o cristão e o Espírito Santo fará com que um manifeste a vontade e os desejos do outro; os pensamentos, o modo de ser, de pensar e de falar. Como alguém que não tem relacionamento íntimo com o Espírito Santo pode conhecê-lo?
“E ele disse: A vós vos é dado conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros por parábolas, para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam.” 
Lucas 8.10


·         Mas vós o conheceis...
Nós, os chamados por Cristo que buscamos intimidade com Seu Espírito. Nós o conhecemos e temos íntima comunhão com Ele. A analogia do casamento é mais uma vez perfeita: a pessoa mora contigo, deve estar onde você está, conhece tudo sobre você; vocês conversam sobre assuntos que não conversam com mais ninguém. Aquela pessoa estará sempre dentro de você e conhece tudo a seu respeito. Assim deve ser a relação do Cristão com o Espírito Santo: íntima e contínua.

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” 
Oséias 6.3

Em Cristo,

Washington Santos.

sábado, 28 de setembro de 2013

Por que perdemos muitas coisas?

"Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas, ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado"

Mateus 25.29


"Eu não sou o que aconteceu comigo, eu sou o que eu escolhi me tornar."  Carl Gustav Jung, psiquiatra suíço, pai da psicologia analítica.



Ultimamente tenho percebido certa tendência ao fatalismo e ao complexo de inferioridade das pessoas; um sentimento pequeno e arrogante por meio do qual as pessoas expressam a necessidade de todos sentirem pena e compaixão de suas vidas. É algo que revela o tamanho da fé das pessoas e nos mostra como anda o coração do ser humano.

O homem tem certa tendência a responsabilizar as pessoas por tudo de ruim que lhe acontece. Reconheço nisso grande tendência à ingratidão, que é a essência da soberba. Sim,  pois uma vez que a Palavra de Deus nos diz que somos entregues à morte todos os dias, por amor do Senhor. E e se você está lendo esse texto, é sinal que a morte não conseguiu lhe tocar. Assim, as pessoas não reconhecem e não são gratas por aquilo que lhes foi dado, passando a se ver como as pessoas menos afortunadas da face da terra, revelando toda a sua ingratidão.

O mais profundo e pernicioso disso tudo é que a ingratidão é a face mais visível da soberba. Inconscientemente, a pessoas está dizendo: “Não recebi nada demais e não tenho de ser grato por isso. É um favor que eu estou fazendo a Deus e às pessoas o fato de eu estar por aqui...”, e coisas do tipo. É essa a face mais sutil e perversa da soberba. A pessoa acha que está fazendo um favor a Deus em existir, quando o contrário é a verdade.


Em minha curta caminhada com Jesus, pude inferir e reter o conhecimento verdadeiro, embasado nas escrituras, de que só existem duas fontes para tudo aquilo que acontece em minha vida: Deus e eu mesmo.

Primariamente, quando algo está acontecendo em minha vida e eu não consigo descobrir a razão, me faltando algo em termos de clareza para discernir o porque daqueles acontecimentos, certamente o que está ocorrendo é o fato de o Senhor Deus permitir aquela situação para que eu seja aperfeiçoado e para que ele me leve a níveis maiores de relacionamento com Ele (Mateus 4.1).

Por conseguinte, a fonte secundária de tudo o que acontece comigo sou eu mesmo. Posto que, o que acontece comigo hoje, é reflexo das escolhas de meu passado, quer remoto ou recente. Aprendo que o que eu semeio vou colher (Gl 6.7). Logo, não devo responsabilizar a ninguém por minhas escolhas e por suas consequências.

Eu preciso aprender e entender que o mundo espiritual - que domina o material -, se movimenta por duas colunas poderosas e imóveis: a legalidade e a autoridade. Ou, eu mesmo, dou legalidade ao mundo espiritual para tocar a minha vida, de uma forma ou de outra, quer aparentemente branda ou pesada. Ou, o que é melhor, ou a autoridade divina está me levando a trilhar caminhos desconhecidos por mim e, que no fim, me farão muito bem.

Muitos parecem desconhecer essa verdade e, fazem de conta que ela não existe. Outros realmente a ignoram. Mas, a grande verdade, é que a conhecendo ou a ignorando, isso não vai mudar. Queiramos nós ou não! Como diz a epígrafe desse texto, "eu não sou o que aconteceu comigo, eu sou o que eu escolhi me tornar."

Podemos definir o que se passa pelo coração das pessoas por suas palavras, não precisamos estar dentro (fisicamente impossível) de seus corações para saber: Jesus nos ensinou que a boca fala daquilo que o coração está cheio. E o mais triste de tudo isso, é que vemos muitos tentando responsabilizar outras pessoas por aquilo que acontece em suas vidas. 

Como poderia eu deixar quem quer que seja, além do Senhor Jesus, definir o meu destino ou os acontecimentos de minha vida? Logo, vemos muitas pessoas com as mais esfarrapadas desculpas, num complexo diabólico de inferioridade e auto piedade, dizendo:

ü  Se meu pai tivesse sido mais presente...
ü  Se as pessoas me entendessem...
ü  Se as pessoas me ajudassem...
ü  Se eu tivesse tido mais oportunidades na vida...
ü  Se eu fosse rico....
ü  Se o meu pastor me desse oportunidade....
ü  Se meu marido/esposa me ajudasse/ entendesse...
ü  E muitas outras semelhantes a estas.

Repare queridos que nesse tipo de comportamento, sempre é alguém o responsável pela “falta de sorte” dessa pessoa, menos ela mesma...o que está escondido nisso tudo é uma grande irresponsabilidade com a sua própria vida e com seu futuro. Minha vida e meu futuro me são coisas muito importantes para que eu os deixe nas mãos de quem quer que seja, além das do Senhor Jesus.

Com isso, chegamos ao principal problema: não valorizar e nem reconhecer a benção que é estar passando por tudo o que eu estou passando agora.

Essas lutas e dores, na verdade,  são grandes oportunidades que o Senhor Deus me dá para algo grande e poderoso que Ele vai fazer em minha vida. Temos de ser gratos por isso!!!

O Espírito Santo nos ensinou: em tudo dai graças, porque essa é a vontade de Deus por Cristo Jesus para convosco (1 Ts 5.27)...Deus está usando essas circunstâncias para nos fazer crescer. Ele quer nos levar a lugares maiores e mais altos, muito mais além do que poderíamos imaginar. E se trabalharmos junto com seu poder, chegaremos a lugares onde sequer sonhamos que poderíamos chegar.

Claro está e, em nenhum momento o disse, que será fácil. Nunca será fácil, e Deus nunca vai te pedir o que é fácil; aquilo que você pode fazer sem a presença e a benção dEle. Deus só te pede o que é difícil; Ele só te pede aquilo que você não pode fazer por si próprio, para que você aprenda a depender dEle em todas as coisas. Nós seres humanos temos essa tendência ativista de achar que podemos resolver tudo. Não podemos. Simplesmente, não podemos!!!

Como dito, essas lutas e problemas são grandes bençãos. E por isso devemos agradecer e andar com Deus, trabalhar com Ele, fazer a nossa parte, pois somos os grandes responsáveis por nosso próprio crescimento.


Não valorizar a benção que são os nossos problemas e nossas circunstâncias é sinal de grande ingratidão. E ainda que as palavras não saiam de nossas bocas, as nossas atitudes mostram aquilo que estamos sentindo, a nossa opinião. Precisamos valorizar e dar graças a Deus por essas circunstâncias, por tudo de bom ou mau que acontece em nossas vidas. Esses são presentes que Deus nos dá.

Mas, eu aprendi que aquilo que eu não valorizo sai da minha vida. O próprio Senhor Deus permitirá que seja tirado (Mt 25.29). Se dermos legalidade, Ele permitirá que o inimigo venha e toque.

 E o propósito tem que se cumprir. Se nós não quisermos, Ele vai dar a outro. Se você não valorizar a benção que Deus te dá, você vai perdê-la, e depois, ainda se achará no direito de reclamar daquilo que Ele tirou de você e deu a outro que realmente valoriza o que foi dado por Deus. É por isso que muitas coisas saem de nossas vidas e não sabemos o porquê. 

Em poucas palavras essa é a verdade e o porquê de perdermos muitas coisas em nossas vidas, sem explicação aparente: não valorizar a benção que essa pessoa ou situação era em nossa vida.

Com amor,
Washington Santos