sábado, 12 de novembro de 2011

Falando de amor


“Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.”
João 15:13

Dentre as muitas teorias que a mídia nos traz; dentre muitas histórias e estórias que nossos avós nos contam, sempre achei que tudo isso me levaria ao verdadeiro conhecimento do que é amor. Sempre achei que sabia o que era amar; sempre achei que já havia amado alguém em minha vida. A grande verdade, é que eu não sabia, e segundo a palavra de Deus, nunca saberei completamente, nesta vida o que é amor, somente após a volta de Jesus e a glorificação de nosso corpo, saberemos (1 Co 13.9,10, 12).  Portanto, convém atentarmos para aquele que deu exemplo de amor e, e o é, por excelência: Jesus Cristo. Quero confessar que, somente após ter conhecido a Jesus, pude ter um vislumbre do que verdadeiramente é o amor!

Contudo, acho mais interessante, nesse início, falarmos do que o amor não é. É importante, tentarmos esclarecer a confusão que se criou em relação a essa palavra que sintetiza a maior prova de desprendimento e entrega que o ser humano pode dar.

O amor não é um sentimento!

Sim, pois se fosse um sentimento, ele poderia mudar como mudam tanto os sentimentos humanos. Hoje se está bem, em paz, amanhã em luta, e os sentimentos acompanham essa roda vida. Por isso que nós, cristãos não podemos andar por vista, mas por fé. Porque independente das circunstâncias, ou de como esteja o nosso humor, o Senhor está conosco até a consumação dos séculos.

 A Bíblia nos elenca diversas características do amor em 1 Co 13.4-8; e essa passagem nos diz que o amor é; e não que pode ser. Ora, se é, não pode mudar. Se é, é imutável, não volátil.

O amor não pode ser uma paixão, pois além das características citadas acima, essa tem prazo de validade e, o amor só cresce com o passar dos anos, se retroalimentando, sem nunca terminar. Enfim, o amor não é loucura, ciúmes, ódio, ira, rancor e tantos outros desatinos usados pelas pessoas para justificar suas atitudes descabidas como se fossem tomadas por amor. Quem ama não pode matar!!!

Pelo contrário; antes, o verdadeiro amor, como explicado em João 15.13 é  doação de vida. Não pode haver amor maior do que este. Somente Jesus pode nos doar amor dessa maneira. Somente Ele e, ninguém mais.

 Quem ama dá a vida em favor da pessoa amada. Por isso, o Senhor nos disse, deixará o homem pai e mãe e, unir-se-á a sua mulher e serão os dois uma só carne. Essa pessoa está dando a sua vida, para formar uma nova vida com aquela que é alvo dessa doação de vida, desse amor. Ele dá vida e recebe vida!!! Muitos casamentos e relacionamentos falham porque as pessoas se unem às outras para ser felizes e não para fazer a outra pessoa feliz. O que significa que estão pensando mais em si, antes de pensar em dar algo para o outro.

Quem ama doa, quem ama dá; planta sementes de bençãos na vida de outra pessoa. Deus é amor e, Ele amou tanto a mim e a você que deu o que tinha de melhor: o seu filho unigênito (João 3.16). Amar é doar vida!!!!

 Palavras de Jesus: Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la.” João 10.17.  (Medite também em João 10.15, 28; Filipenses 2.4-7).

Amar é doar, é escolher dar a sua vida em favor de outra pessoa; é um ato de minha vontade. Jesus escolheu doar-se a si. Ele nos amou primeiro. Ele se doou, Ele deixou sua glória e majestade, desfazendo-se de si mesmo. Ele nos deu amor, paz, vida, salvação, para que fôssemos um nele. Ele pagou esse alto preço por nosso resgate, Ele seu deu em tudo, não deixou nada, não guardou nada, não escondeu nada.

Satanás ao contrário, não quis doar nada. Ele quis tudo para si; ele quis tomar algo que não lhe pertencia. Esse é o espírito do egoísmo que infelizmente, reina em nossos dias. O espírito da usurpação, o espírito da “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Satanás, diferentemente de Jesus, quis usurpar o trono do Pai (IS 14.12-14).

Tudo isso que está no mundo hoje, é o espírito do egoísmo trabalhando. Veja bem, o que é o homossexualismo, a violência, o roubo, a pornografia, e todas as demais pragas que assolam a nossa sociedade, senão o desejo egoísta de satisfazer um desejo egoísta a qualquer custo, independente dos males que isso possa acarretar?

E por que não falar das ciências sociais, do humanismo, do homem pós-moderno, do hedonismo desenfreado, que exacerba a supremacia do “eu”, sobre o primado do amor que está em nós? O eu quer matar o nós!!!


O nós quer doar vida, mas o eu tem por objetivo matar toda e qualquer comunhão. O mundo e suas paixões querem exterminar a paz e a comunhão do nós. Esse tipo de postura não provém de Deus, mas do mundo.

Porque será que Jesus nos disse para que amássemos ao nosso próximo como a nós mesmos? Porque Ele sabia que o amor e o poder estão na comunhão. Meu querido amigo obreiro cristão, se o seu pastor lhe mandar lavar o banheiro de sua igreja, como você se sente? Se não se sentiu bem, está errando o alvo, porque você não gostaria de deixar o banheiro de sua casa sujo. Porque o banheiro de sua igreja vai ficar? E você irmão, a quem Deus tem tanto abençoado com bens. Qual foi a última vez que você deu carona para alguém ir ao culto? Qual foi a última vez que você foi a um culto fora de seu horário habitual para levar alguém que está para ter um encontro com Jesus? Qual foi a última vez que você renunciou a alguma coisa pelo reino de Deus?


Você realmente acha que foi à toa que Jesus disse: porque tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber; quando fostes visitar a um enfermo, um presidiário era a mim que estavas visitando, quando fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, foste a mim que o fizestes... (Mateus 25. 34-46).

Uma das mais marcantes características do caráter cristão é a doação, é o amor que doamos. É estarmos juntos em comunhão, pois quem não doa a seu irmão que viu como pode doar (amar) a Deus que não viu? Entendamos esse amor que doamos a Deus como o amor que doamos aos pequeninos e necessitados.

O verdadeiro Evangelho é mais do que um sistema ético-moral religioso. É a boa notícia de Deus; é o restabelecimento do reinado do amor e da paz; pois todos aqueles que querem se aproximar de Jesus devem negar-se a si mesmos, devem doar-se. O Evangelho é renúncia! Quem não doa, não pode ser discípulo de Jesus. E detalhe, tem que doar todos os dias; tomar a sua cruz cada dia e, aí sim, poderá segui-lo.

Se você não tem doado vida, não ama; e se não ama, não pode seguir a Cristo. Você pode até fazer parte de uma religião, estar se enganando, mas andar com Jesus você não está andando...

Aquele que renuncia ao seu próprio egoísmo é servo do Senhor de verdade, se doa, tem as garantias de multiplicações superabundantes da parte de Jesus ainda para este tempo (Mc 10.29,30).

Que tenhamos e pratiquemos em nossas vidas e corações a atitude de quem realmente ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Mesmo sabendo que nunca saberemos o que é o amor nessa peregrinação humana, saberemos que esse vínculo de perfeição estará sedimentado em nossos genes. Recordemos das palavras do Senhor Jesus, porque melhor coisa é dar do que receber (Atos 20.35)