domingo, 27 de maio de 2012

Estudo para esboço da mensagem "Uma voz mansa e delicada"


Estudo para esboço de pregação
Título da mensagem: Uma voz mansa e delicada

Introdução:

Eliahu significa literalmente, O Senhor é meu Deus; ou, Só o Senhor é Deus.

Elias profetizou segundo a sua própria palavra, ainda que tributasse o milagre a Javé. Ele desafiou a Acabe e seu deus baal, dizendo que nem orvalho nem chuva cairiam naquela terra, senão segunda a sua palavra. Para os adoradores de baal, o deus pagão governava sobre o orvalho e a chuva. Era este um desafio direto à autoridade real e à mentira em que o povo vivia. Poderia um homem desafiar ao deus de uma nação que se fizera pagã, dentro de sua própria casa? Qual seria a base de poder e intrepidez e destemor de Elias? Javé, o verdadeiro Deus da nação de Israel.

Baal significa o literalmente proprietário, mestre ou marido. Este era o deus pagão das tempestades e dos raios. Era adorado por todo o antigo Oriente Médio, é frequentemente associado à sua esposa Aserá, ou Astorete ou Astaroth, que é a deusa da fertilidade.

O profeta Elias

Elias era um desconhecido. A Bíblia diz que ele era um dos moradores de Gileade, o que significa que não tinha genealogia nem descendência importante naqueles dias. E ele foi o escolhido por Deus para trazer o avivamento a Israel. Isso significa que Deus não está preocupado com suas credenciais, com a sua faculdade, com sua carteirinha de pregador. O Senhor não está preocupado com qualificações, dogmas ou hierarquias humanas. Deus não se impressiona com essas coisas. Ele quer saber de seu coração. Se você está disposto a fazer Sua  obra e a sacrificar a sua vida, por amor de Jesus e de Seu Evangelho. Assim, foi com Elias, um homem que a Bíblia diz que era sujeito às mesmas paixões erros e manias que eu e você, mas tinha zelo e respeito pelos mandamentos e palavra do Todo Poderoso.

O isolamento profético de Elias.

 Elias era separado do mundo, embora habitasse em uma região metropolitana, na capital do reino do norte (Samaria), vivia separado e, não se misturava espiritualmente à maioria. Eu aprendo com isso que, se Deus nos separou, Ele quer que sejamos fiéis aos nossos chamados;  Ele não permitirá que nos contaminemos com a mistura e o ecumenismo religioso de nossos dias. Deve sempre ficar bem clara a diferença entre aquele que serve a Deus e aqueles que não servem; entre aquele que é crente por conveniência e/ou por outros motivos e aquele que é crente de verdade e paga o preço de servir ao Senhor (Ml 3.18). Isso levou Elias à posição de escolhido de Deus. Deus o chamou na época de maior apostasia do reino de Samaria, para profetizar contra aquele estado de coisas, e sua depravação moral e religiosa. Assim, somos nós, chamados para profetizar e para demonstrar a diferença entre quem serve ao Senhor e quem não serve. Nós somos os escolhidos desta geração. Elias já passou (embora, vá voltar), e o Senhor conta é comigo e com você para fazer a sua obra nesse mundo.

Por isso, o Senhor não te tirou ainda daquele trabalho, daquela casa, daquela realidade imoral das pessoas com as quais convives. Deus te chamou para ser um Elias na vida desse mundo. Mas, para isso é necessário estar separado, e ter comunhão com o Senhor, obedecendo a sua voz e guardando seus mandamentos.

O deserto de Elias

A preparação de Elias, seu deserto durou 3 anos e meio, nos quais ele foi preparado e ensinado a depender única e exclusivamente da provisão sobrenatural do Senhor.

Primeiro Ele foi enviado ao ribeiro de Querite, que significa ficar do tamanho certo.

Depois, foi enviado à cidade de Sarepta que significa o lugar de fundição.

Sarepta ficava em Sidom, que era governada pelo rei Etbaal, pai de Jezabel, que por sua vez , significa a Desonrada. Deus escondeu a Elias sob os narizes de Jezabel. Ele deixou isso registrado para nos mostrar que aquele a quem Deus pousa sua mão, satanás não acha. O que Ele guarda satanás não toca. Quando encontrou o mordomo Obadias, Este lhe disse: “não houve reino ou nação que o meu Senhor não tivesse procurado por ti, não mandasse diligências em sua captura” (1 RS 18.10). E Elias estava hospedado na casa de uma viúva da cidade. Imagine se não seria fácil de o achar, já que um desconhecido vivendo com uma viúva, daria margem a diversos tipos de comentários. Mas, ainda assim, todo o exército e detetives de Acabe não o conseguiram achar. Se Deus o guarda e protege, não há no universo aquele que o possa tocar.

Esse primeiro momento Elias, foi a primeira grande e dramática prova de seu ministério profético. Ele teve que aprender a depender da provisão sobrenatural de Deus. Pão e carne na beira do Riacho trazido pelos corvos; e a estranha e misteriosa provisão na casa de uma viúva miserável, que por sua fidelidade em cumprir a orientação do homem de Deus, em meio às piores circunstâncias, foi milagrosamente sustentada pelo Senhor.

O encontro com o mordomo Obadias

Obadias era mordomo de Acabe, o que significava que este tinha alta patente e responsabilidades no reino de Acabe. Algo como o ministro de estado de uma nação. Obadias tomou 100 profetas de Javé, de 50 em 50 e, os escondeu em covas e os alimentou com pão e água. A arqueologia nos diz que há mais de 20 mil cavernas na região do Monte Carmelo capazes de guardar 100 profetas.

Enquanto você reclama de suas condições de trabalho e de pregação do Evangelho; enquanto você reclama de suas lutas, Deus quer te lembrar no dia de hoje que há outros profetas servindo a Deus como você; ou talvez até mais do que você, em condições bem piores do que você. É sempre bom lembrar que quando Ele chamou Moisés para a obra, este tinha apenas um pequeno cajado na mão, e mais nada. Contudo, grandes prodígios, sinais e maravilhas, Deus operou por intermédio daquele cajado. Não importa a situação em que você se encontra, ou o que você tem. Deus quer apenas que você o apresente alguma coisa, para que daí Ele possa multiplicar milagrosamente em sua vida e ministério. Jesus nos deixou essa lição quando apresentou a Deus e deu graças cinco pães de cevada e dois peixinhos para alimentar quase 25 mil pessoas.

A dúvida do povo

1 Rs 18.21 “até quando coxeareis entre dois pensamentos?”

O texto diz que o povo nada respondeu ao profeta. Muito provavelmente, pelo fato de não crer mais Javé, tendo em vista os testemunhos dos predecessores de Acabe (como Jeroboão, Nadabe e Onri, seu pai). O amor do povo tinha esfriado; e talvez, muitos tivessem achando que Javé havia se esquecido de seu povo. O povo estava desmoralizado, porque não sabia onde estava o Deus de seus pais. Por isso, ficou calado, numa clara expressão de dúvida.

A fé é inimiga da dúvida, elas não se misturam. Circunstâncias não podem ditar os rumos de sua fé, do contrário, ela deixa de ser fé. Se por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriou, Deus te chama no dia de hoje, para ser um remanescente no meio de um povo corrompido, apóstata e idólatra. Ele quer te colocar como um profeta cheio do Espírito Santo a profetizar para as novas gerações. Ele te chama para ser um Elias dessa nova geração. Ele quer que você mantenha a fé, mesmo em meio às circunstâncias mais adversas. Deus hoje vai te dar mais uma prova de quem Ele é na sua vida!!! Ele é o Senhor de toda a terra!

A batalha no Carmelo

Elias confrontou a tolice da idolatria de deuses que tem boca, mas não falam; que tem olhos, mas não veem; que tem narizes, mas não cheiram. Todo aquele que idolatra a alguém ou a algo, torna-se inerte, sem vida e movimento. Sua vida espiritual fica parada, nada anda, nada conquista e torna-se um amargo crítico de quem vence e prospera. Muitos hoje não estão prosperando, nem caminhando, porque estão idolatrando e dando a glória do Senhor a quem nunca poderá recebê-la. O Senhor não divide a sua glória com ninguém.

Para o povo e seus adoradores, baal os respondia no Monte Carmelo, onde foram quebrados os altares de adoração a Javé, e substituídos pelos altos de adoração a baal. Para eles aquela era a casa de baal, o lugar de sua adoração e da manifestação de seu poder. Mas, desta vez, baal não respondeu? Por quê?

Pelo simples fato de a presença do Espírito Santo de Deus em sua vida, impedir toda e qualquer força e ação de satanás. A presença de um profeta cheio do Espírito Santo repreende e anula a força, as artimanhas e os ardis de satanás. Quando ele está diante de um ungido do Senhor, consagrado, ele tem que se prostrar. Ele fica impedido em suas ações e, pelo poder do Espírito Santo, fica imobilizado, sem poder agir. Por isso que se ele sair contra ti por um caminho, por sete ele vai ter que desaparecer; por isso, que ele tem que fugir correndo quando um homem ou uma mulher de Deus chega a qualquer lugar onde ele esteja trabalhando. Aonde chega um servo consagrado, o Espírito Santo que habita Nele, chega junto e o jugo do diabo é despedaçado pela unção do Espírito Santo.  

 As diferentes atitudes de Elias e Acabe

 Após a grande vitória do profeta de Deus, e da notícia que a chuva viria à terra, Acabe subiu ao monte para comer e beber e se deliciar, alardeando a todo povo que aquela havia sido uma vitória de baal; já Elias, sobe ao cume do Carmelo para buscar a Deus e agradecer a Javé pela vitória, bem como para travar nova batalha de oração para que a chuva descesse sobre a terra.

A vitória e suas consequências podem se tornar um novo tempo de derrota e dor.  Depois de tudo o que ocorrera, Elias imaginou que presenciaria um grande avivamento nacional. Mas, não foi o que ocorreu. Nada de fato mudara nos corações endurecidos daquele povo.

Como isso, a rainha Jezabel o ameaça de morte, e o profeta foge para o deserto, temendo por sua vida e com o coração partido pela dureza do coração do povo.

Texto base da mensagem: 1 RS 19.7

“E o anjo do Senhor tornou segunda vez e o tocou, e disse: levante-te e come, porque mui comprido te será o caminho.”

Após sua desesperada fuga para o deserto, Elias se assenta sob um pé de zimbro e pede a morte. Ele desenvolvera todos os sintomas de depressão, e não queria viver para ver a desgraça espiritual do povo de Deus. Elias, cansado e fatigado pela batalha é milagrosamente alimentado pelo anjo do Senhor por duas vezes,  quando com a força daquela comida caminha por 40 dias e noites para chegar ao Horebe, o monte da santidade de Deus.

Ali, Elias entra em uma caverna. Alguns estudiosos conjecturam que essa foi a mesma caverna em que o Senhor mostrara a sua glória a Moisés (Ex 33.20-23). Mas, se naquela ocasião, Javé mostrou sua glória a Moisés de maneira espetacular e sobrenatural, aqui Ele se mostra a Elias de uma maneira diferente e inesperada. Ele se apresenta a Elias numa voz mansa e delicada, deixando claro o Senhor que não apenas de maneira espetacular e milagrosa Ele age; mas, também, de maneira simples e natural.  O que queremos dizer e que o texto deixa bem claro, é que nem todo movimento, nem todo prodígio de sinais e maravilhas provém do Senhor.

Há pessoas que operam sinais, milagres, maravilhas e prodígios e vão para o inferno (Mt 7.21-23). Naquele grande dia, o Senhor mostrará quantos “milagres” satanás fez...

Elias orava por um avivamento nacional. E se deprimiu achando que tudo o que tinha sido feito por seu intermédio, foi em vão. O que Ele não sabia, era que Deus estava trazendo um avivamento verdadeiro, com base em joelhos dobrados e o ensino da palavra, por meio da escola de profetas. Tanto é verdade que o avivamento sonhado por Elias, se cumpriu em Eliseu, que este pediu a porção dobrada da unção que estava sobre o “profeta do fogo”, e cumpriu o dobro de milagres em relação aos operados por Elias; e, além disso, exterminou toda a casa de Acabe, conforme mandara o Senhor.

Naquele momento à porta da caverna, Elias imaginou que o Senhor estava no vento, ou no terremoto, ou no fogo, como muitos pensam hoje em dia. O fato é que satanás tentou enganar a Elias, mas não cumpriu seu intento porque a voz mansa e delicada do Senhor falou mais alto em seu coração.

Deus perguntou a Elias por duas vezes: o que fazes aqui, Elias. E Ele te pergunta hoje: o que fazes aqui, homem ou mulher de Deus? O que você está fazendo aí no mundo, olhando o tempo passar meu filho? Por que seu vaso está emborcado? Por que você está vivendo uma religião e não a verdade da minha palavra? O que você fez de seu ministério? Foi para isso que te chamei Elias?

E o profeta começa a respondê-lo e tenta se explicar pelo fato de estar naquela situação, com o ministério parado. Trouxe todas as explicações que, à primeira vista, seriam lógicas e plausíveis. Mas, Jeová não deixa barato, se Ele chamou, Ele vai cobrar. Se Ele te deu a ferramenta, Ele quer a obra pronta e multiplicada, porque a quem muito é dado muito será cobrado.

Sai da caverna e te coloca diante do Senhor!!!

Ele sempre nos move de um estado de acomodação, da zona de conforto, para uma área maior e mais dinâmica de trabalho e ministério. Ele não quer seus filhos acomodados. Assim diz o Senhor em Isaías 54.2: “Amplia o lugar da tua tenda, e as tuas cortinas se estenderão; não o impeçais. Alonga bem as tuas cordas e firma bem as tuas estacas.”

Jesus teve que sair de sua terra natal para Cafarnaum, para poder começar seu ministério, tamanha era a incredulidade daquele povo.

Na chamada de Abraão, Ele o tira da zona de conforto. (Gn 12.1-3)

“...e far-te-ei uma grande nação, abençoar-te-ei, engrandecerei o teu nome e tu serás uma benção. E abençoarei, os que te abençoarem; amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas, todas as famílias da terra.”

24 anos depois dessa promessa, Deus tira Abraão de sua tenda e o leva para fora e diz: “olhai para as estrelas do creu se as pode contar, assim será a sua semente. E creu Ele no Senhor, e foi lhe imputado isto por justiça. (Gn 15.1,5,6)

Saulo foi derrubado de sua pose, soberba e arrogância (Atos 9) e perseguidor, tornou-se perseguido!!!

Vai e volta pelo teu caminho!!! 

 “...toda boca que não o beijou!!!” 1 RS 19-15-18

Deus nunca vai deixar uma obra incompleta em sua vida. Aquele que começou a boa obra é fiel para terminá-la.

Lembre-se de Daniel: “Daniel, homem mui amado, desde o primeiro dia  em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das suas palavras.” (Dn 10.12)

Mas, se a obra não fica incompleta, é bom lembrar que se você não quiser a carreira que lhe foi proposta, Deus levantará outro em seu lugar. Das atribuições dadas a Elias por Deus, Ele só ungiu pessoalmente a Eliseu; e este ungiu a Jeú e a Hazael. Não murmure, não olhe para as circunstâncias, se não você corre o risco de ficar por 40 anos no deserto ou de Jeová colocar outro em seu lugar.

Fechamento: Um recado de Deus para a igreja!!!carta á igreja da Filadélfia (Apocalipse 3.8-11)

   Guarda o que tens, para que ninguém tome a sua coroa!!!